Gabriel Cortilho

ESQUIZOAFETIVO

escrevo o incerto numa cidade deserta

transito entre cárceres, loucos, suicidas;

abrigo o manicômio da Agonia Perpétua

conheço a lágrima sulfúrica & depressiva

os psiquiatras não ouvem o grito da alma

lançam química turva em cérebros aflitos

preocupam-se com as sinapses humanas

esquecem que nos habitam os labirintos,

velhos caminhos tortuosos para caminhar

sob o ocaso, ouço a sinfonia dos mortos:

somos feitos da mesma penúria secular