Lene Leal

SOBRE(VIVER) sob a máscara neurotípica


Infâncias marcadas pelo isolamento, pelo bullying e muitas vezes por abusos.

Questionamentos desde cedo pelo sentido da vida, qual nosso papel no universo.

“Ah é a fase dos porquês…”

Fase que perdurou pela adolescência, chegou na vida adulta e já se tornou permanente.

Vivemos a luta diária de, mesmo sem entender o motivo, termos que levantar, estudar, trabalhar, casar, ter filhos, perpetuar a espécie e morrer.

Confraternizar, participar de ritos sociais sem lógica alguma.

Sentir-se desconfortável com barulhos, sons, luzes e cheiros.

"Que lindo os fogos de artifícios..." enquanto nossos corpos se contraem e buscamos refúgio em nosso íntimo tapando nossos ouvidos.

Surtar em meio à multidão.

Sentir-se invadido quando alguém toca seu corpo.

“MEU CORPO, por favor respeite.”

Ter a opinião questionada, ser considerado louco, ser inconveniente por deixar os outros desconfortáveis.

E daí que eu não paro de me mexer? Por que tenho que te olhar nos olhos? "para transmitir segurança"

“Tá..., mas quem está se sentindo inseguro é vc…” Novamente... MEU CORPO.

Nosso cérebro funciona de forma diferente e TUDO BEM

Somos obrigados a nos comportar.

E sim, mesmo obrigados, tentamos fazer o que nos pedem.

Sobrevivemos a cada dia, nos anulando... deixando a nossa existência ser confinada ao nosso mundinho.

Guerreiro... não quero lutar... Sobrevivente... Só quero ter liberdade para viver e ser.