V.Hugo

Versinverso (neuro)dissidente


Meu tempo não é dinheiro

Particularmente (des)(auto)regula

meu caos interno

(In)verte o fio condutor

(Trans)inscreve as próprias regras

Esquenta o sangue em brasas

Pise devagarinho: — slow motion down

pause sinta stop

O tempo me pertence?

Se sou devagar o ponteiro está

a acelerar DESCOMPASSADAMENTE

Ele que lute pra acompanhar meus passos

Nesse ritmo: crítico vívido artístico

Sou capaz de parar e observar estrelas

Perceber (des)pretensiosamente

Conversas que atravessam cotidianos

Aos gatos de rua, cumprimento-os

Às ruas, peço licença

Delas sou transeunte

Faço parte das encruzilhadas

Constelações urbanas atravessam

Cruzando intineirantes caminhos