Kátia Surreal

silêncio sexual

falo

na boca

o silêncio...

Tanatos

morte-vida

introduzida

na coisa em si

e em ti me acabo

como num estalo...



O Livro

Uma dor borbulha o íntimo, formando ondas e neblinas que saltam como pedras, abrindo-se arestas nas florestas desconhecidas da menina perdida em tempos que já vão. Trilhas se abrem pelos caminhos, entre espinhos e desatinos. Em meio ao risco e o escapismo, ela mergulha em águas turvas que a puxam para a zona obscura de uma angústia múltipla que lhe adentrou para além da vulva. Mas quem lhe adentrou? Quem a penetrou?! Não se sabe... Não há uma fotografia, nem tampouco uma cotovia a salvar seu amanhã. Assim, ela se enfia em si mesmo, numa captura do eu, que ainda nem morreu, mas se encontra em rupturas abruptas, em um percurso líquido, tísico. Talvez, seja necessário se liquefazer...